Atenção: Você está no site Agro Bayer Brasil. O conteúdo deste site é destinado a agricultores e demais profissionais do setor agrícola.

 
Find a solution
Find a label

Onde Comprar

Não há resultados.

Investimento em alta tecnologia aumenta a eficiência da irrigação

Ferramentas informatizadas que coletam dados com precisão e consultorias especializadas que ajudam na economia de água podem ser resgatadas por pontos na Rede AgroServices

Data

28 maio 2019

A irrigação é uma grande aliada do produtor rural. A tecnologia muda a paisagem no campo, transformando a fazenda em um oásis capaz de produzir até três safras ao ano e com produtividade muito superior às áreas de sequeiro. Seja com a adoção de pivôs centrais, sistema de gotejamento ou qualquer outro sistema de irrigação, o investimento é certeiro para alavancar os resultados da fazenda. A rotina na propriedade fica mais dinâmica, o agricultor pode diversificar cultivos, elimina as perdas causadas por secas e ainda pode investir em boas estratégias de fertirrigação para economizar insumos e incrementar a adubação das lavouras.

 

Economia de água

O leque de oportunidades para exploração na irrigação é amplo e evolui a passos largos. No entanto, o produtor sempre precisa ter em mente que a água é um recurso precioso e deve ser utilizado com parcimônia. “Cada vez mais o uso da água está sendo discutido. Uma das maiores preocupações dos irrigantes é saber o momento certo de realizar a irrigação e quantidade de água a ser aplicada. Com isso os irrigantes procuram se amparar em empresas que possam gerenciar a utilização da água da maneira mais eficiente e sustentável, evitando desperdícios”, afirma Luis Pedro Fros, engenheiro agrônomo e gerente de operações do Sistema Irriga, uma tecnologia de monitoramento disponível para resgate por pontos na Rede AgroServices aqui.

 

Eficiência na irrigação

De acordo com um mapeamento da Agência Nacional de Águas, o Brasil se posiciona entre os 10 países que mais irrigam no mundo. A irrigação ocupa 6,95 milhões de hectares da área agricultável nacional e responde por 46% das retiradas nos corpos hídricos no Brasil. O potencial de crescimento do setor é tão significativo que já se estima um avanço de 45% da área irrigada até 2030, para um total de 10,09 milhões de hectares em 2030. A projeção de retirada de água, no entanto, indica um crescimento de 38%, dado inferior ao da expansão de área irrigada. Essa é uma ótima notícia pois representa a tendência de evolução da irrigação, que busca sistemas cada vez mais eficientes.

A Bayer busca auxiliar os irrigantes no avanço tecnológico, oferecendo serviços e produtos com foco no aumento de eficiência da irrigação que podem ser resgatados por pontos na Rede AgroServices. Confira ofertas de consultorias com agroespecialistas em fertirrigação aqui. Outra dica é resgatar equipamentos de irrigação com pontos na Rede AgroServices, veja mais aqui. O produtor pode até mesmo contar com a ajuda da Bayer para verificar a qualidade da água por meio de análises em laboratório, com testes que podem ser resgatados por pontos aqui.

Um grande exemplo de como a tecnologia faz a diferença nos campos irrigados é o Sistema Irriga, tecnologia que trabalha com modelos matemáticos de balanço hídrico do solo e mapeia as necessidades da cultura em conformidade com as condições climáticas. O sistema opera com sensores e pluviômetros que coletam e transmitem dados em tempo real para traçar as melhores estratégias de manejo. “Através da informação de dados climáticos, características do solo, da cultura e do sistema de irrigação, o Sistema Irriga obtém o valor exato de água a ser aplicado, bem como o momento mais adequado para a irrigação ser realizada”, explica Fros.

Segundo ele, o sistema é fácil de operar e o produtor recebe informações diretamente no celular. A plataforma online pode ser acessada de qualquer dispositivo e local, disponível 24h todos os dias, e uma grande vantagem é também a velocidade e precisão das análises. “Obter as informações de maneira rápida, no lugar de onde estiver traz uma segurança maior para o irrigante tomar decisões e gerenciar sua fazenda. Saber definir os melhores horários para irrigar e as quantidades de água em cada irrigação fazem com que a utilização da água seja máxima”, diz Fros.

 

Monitoramento e assistência técnica

A tecnologia pode ser resgatada por pontos na Rede AgroServices, confira a oferta aqui. O pacote de serviços oferece visitas técnicas quinzenais, análise física do solo das áreas irrigadas e acesso integral à plataforma online e aplicativos. De acordo com o gerente de operações do Sistema Irriga, o suporte técnico é um grande diferencial para manter a qualidade do monitoramento de irrigação. “As nossas visitas técnicas são de extrema importância para aferir toda essa tecnologia que está no campo, além de alinhar com os produtores se a informação está chegando da maneira correta e a sua empregabilidade está sendo da melhor forma possível. Uma equipe qualificada agrega muito no dia a dia do produtor, trazendo informações técnicas que auxiliam nas tomadas de decisões dos processos”, afirma Fros. “A base científica por trás do manejo e monitoramento da irrigação é muito grande, trabalhando sempre com seriedade e um incremento tecnológico muito grande ano após ano.”

O Sistema Irriga foi criado por professores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, em 1993. A tecnologia é flexível e consagrada no mercado, estando em operação comercial há 20 anos no Brasil e atualmente presente também em 14 países. Está presente em 190 mil hectares e espera-se que ultrapasse 200 mil hectares monitorados em 2019. O Sistema Irriga pode atender 32 culturas irrigadas, entre elas a produção de grãos e até mesmo de frutas. “O Sistema Irriga pode ser utilizado em qualquer tipo de sistema de irrigação. Monitoramos áreas irrigadas por sulcos, gotejamento, aspersão convencional, canhão autopropelido, por exemplo. Mas 90% das áreas monitoradas são através de irrigação via pivô central e nosso carro chefe é a produção de milho semente, onde temos parceria com diferentes empresas produtoras há vários anos”, conta o gerente Luis Pedro Fros.

Compartilhar notícia por email