Atenção: Você está no site Agro Bayer Brasil. O conteúdo deste site é destinado a agricultores e demais profissionais do setor agrícola.

 
Find a solution
Find a label

Onde Comprar

Não há resultados.

Descubra como aumentar a eficiência do controle de pragas na soja e no milho

Monitoramento minucioso, ágil e eficiente permite tomar as melhores decisões de manejo e aplicar inseticidas na hora certa

Data

10 julho 2019

Percevejo marrom da soja. Crédito da foto: Claudio Bezerra Melo/Embrapa.

Foto: Claudio Bezerra Melo/Embrapa.

As lavouras de soja cultivadas em 2 mil hectares da fazenda Quinze de Agosto, localizada em Carapó (MS), saíram ilesas do ataque do percevejo-marrom, considerada uma das pragas mais preocupantes para a sojicultura. Com a redução das infestações do inseto, as plantas puderam produzir melhores grãos e o agricultor Edivaldo Frenhan ficou satisfeito com os resultados da temporada 2018/19.

No entanto, Frenhan não é um privilegiado que contou com a sorte de uma baixa infestação ou clima ideal. A lavoura protegida do percevejo foi conquistada com um manejo eficiente, promovido pelo Patrulha Percevejo, um serviço exclusivo da Bayer disponível para resgate por pontos na Rede AgroServices, saiba mais aqui. “O percevejo é uma das pragas que mais causam danos na lavoura hoje e quando ele ataca você não vê, só vai descobrir os danos na colheita”, diz ele.

O ataque ocorre quando o percevejo perfura a planta ou grãos para sugar a seiva, ao mesmo tempo em que, ao se alimentar, também injeta na soja uma toxina. O resultado disso é que a planta de soja pode ter queda de vagens e os grãos atacados podem apresentar peso até 40% menos do que a soja sadia. O produtor Edivaldo Frenhan não tem dúvidas de que vale a pena investir no Patrulha Percevejo para minimizar os riscos da praga. “Ter um monitoramento minucioso é muito melhor, é uma coisa que traz mais segurança para o manejo. Com o Patrulha Percevejo, hoje eu fico tranquilo”, conta o produtor.

Frenhan já está bastante acostumado com o serviço, com início das atividades em sua fazenda na safra 2016/17. De lá para cá, ele fez questão de continuar sendo atendido. “Fiz resgate do Patrulha Percevejo na Rede AgroServices e fiquei satisfeito, recomendo com certeza. Já vou fazer o resgate para a quarta safra seguida, para monitorar 100% da minha área na safra 2019/20”, diz.

Ele resgata o serviço por pontos na Rede AgroServices antes de iniciar a safra de soja e recebe o atendimento antecipado do patrulheiros para agendar as visitas técnicas. “O monitoramento começa entre 20 e 25 dias após o plantio, com visita toda semana. Eu não preciso me preocupar com nada, o patrulheiro tem experiência técnica e sabe o que fazer. A porteira aqui está sempre aberta para os patrulheiros”, conta o agricultor.

 

Resultados positivos

Na safra 2018/19, o monitoramento do Patrulha Percevejo fez a diferença nos resultados da fazenda Quinze de Agosto, colaborando para uma média de produtividade de 61 sacas de soja por hectare. “Neste ano, o monitoramento foi muito bom, eu consegui controlar bem o percevejo e o nível de dano foi quase zero. Com menos danos, você consegue uma produtividade da soja melhor”, diz ele.

Ele acredita que a metodologia de trabalho dos patrulheiros permite avanços na área com maior precisão, por isso fica mais fácil identificar as áreas infestadas. “O patrulheiro acessa lugares da lavoura por onde a gente não anda. Eles usam motocicletas e conseguem fazer um monitoramento rápido e técnico. Em média, um patrulheiro consegue monitorar toda a minha área em dois dias”, diz Frenhan. Como resultado dessa rotina eficiente, o produtor consegue acompanhar a atividade da praga e tomar as melhores decisões de manejo. “O principal benefício do Patrulha Percevejo é manejar a praga na hora certa. Eu não perco o timing das aplicações e assim estou conseguindo controlar melhor o percevejo.”

 

Tecnologia na palma da mão

Os patrulheiros utilizam uma moderna plataforma online para registrar os dados do monitoramento, que são apresentados por meios de alertas e mapas intuitivos, com os níveis de infestação registrados nas cores verde, amarelo e vermelho. Por meio de dispositivos móveis conectados à internet, os patrulheiros compartilham as informações em tempo real com os clientes participantes do programa. Essa é uma vantagem da tecnologia, que tem por objetivo disponibilizar os dados de forma eficiente, segura e rápida, para dessa forma favorecer as técnicas de controle da praga.

Frenhan é um exemplo de agricultor que utiliza e aprova o sistema. “Eu tenho o aplicativo do Patrulha Percevejo no celular e os patrulheiros sincronizam os dados no sistema. Eu consigo ver as informações de tudo que foi monitorado no mesmo dia da visita, acesso mapas completos de infestações e rapidamente todo as decisões de manejo”, conta o agricultor. “Eu observei uma evolução muito grande no Patrulha Percevejo. O aplicativo mudou e ficou com informações ainda mais completas, o serviço está melhorando sempre.”

O agricultor acredita que contar com o suporte profissional de técnicos qualificados ajuda muito no manejo. “Além do monitoramento do percevejo, com a técnica do pano de batida os patrulheiros identificam também outras pragas, como lagartas. Eles acabam me contando o que mais está na lavoura, se tem alta infestação de outras pragas ou alguma doença. Isso também acaba sendo uma informação adicional importante para mim”, diz o agricultor Edivaldo Frenhan.

 

Conheça o Patrulha Percevejo

Além de beneficiar as lavouras de soja, o serviço Patrulha Percevejo também atua no monitoramento de lavouras de milho. Para isso, a metodologia também é ajustada para monitorar as pragas mais incidentes neste cultivo, como por exemplo, o percevejo barriga-verde que apresenta um ciclo de vida distinto.

O período crítico de maior ataque dos percevejos no milho ocorre na fase inicial de desenvolvimento das plantações. Assim que a semente de milho germina, ela vira alvo do percevejo barriga-verde. Dessa forma, os patrulheiros monitoram a lavoura de milho de forma intensiva, com frequência de monitoramento de 4 a 5 dias, e por período mais curto, em até 30 dias. Já no caso da soja, as visitas técnicas só têm início cerca de 25 dias após a emergência da soja e os patrulheiros acompanham a lavoura por um período médio de 90 dias.

 

Leia também:

Percevejo sob controle pode evitar perdas de 10 sacas de soja por hectare

Compartilhar notícia por email