Atenção: Você está no site Agro Bayer Brasil. O conteúdo deste site é destinado a agricultores e demais profissionais do setor agrícola.

 
Find a solution
Find a label

Onde Comprar

Não há resultados.

Mofo branco: o que é e como identificar

Doença fúngica agressiva responsável por grandes perdas em produtividade em culturas como soja e feijão.

Data

15 julho 2019

Produto

Localização

São Paulo - SP

Mofo Branco: O que é e como identificar

Doença fúginca causada pelo fungo ascomiceto

Sclerotinia sclerotiorum

Possui muitos hospedeiros, causa sérios danos em soja, feijão, girassol.

O inóculo inicial

  • Sobrevive no solo na forma de escleródios (estrutura de resistência);
  • Exsudatos rediculares no hospedeiro estimulam a germinação e formação das apotécios na superfície do solo (estrutura reprodutiva);
  • Os apotécios produzem e ejetam ascósporos (esporos infectivos).
1: Escleródio; 2: Apotécio; 3: Ejeção de ascósporos (esporos)

A infecção

  • Os esporos ejetados precisam chegar até as flores;
  • A infecção se dá via flor, portanto o período crítico de infecção vai das primeiras flores até a ausência e flores na planta;
  • A penetração se dá via pétalas, os esporos não conseguem penetrar diretamente sobre folhas.

Os primeiros sintomas

  • Os sintomas iniciais são caracterizados pelo crescimento micelial branco, por isso o nome de mofo branco;
  • A partir da infecção inicial, flores infectadas permitem o crescimento do fungo e expansão da colonização aos tecidos próximo, principalmente o pedúnculo e a haste principal;
  • Pétalas infectadas podem cair sobre folhas e contribuir para novas infecções e expansão da doença pela planta;
  • Se trata de uma doença monocíclica, ou sejam, a evolução depende do inóculo inicial no solo, plantas dentes não produzem estruturas reprodutivas e não infectam novas plantas, apenas pelo contato direto com órgãos infectados.

Evolução dos sintomas

  • Sob condições favoráveis, principalmente de elevada umidade, a evolução do fungo é rápida, com potente destruição de tecidos;
  • A obstrução da haste impede a passagem de água e nutrientes. Inicialmente, notam-se sintomas necróticos nas folhas do topo. Posteriormente, tem-se a murcha das plantas e, por fim, a morte da planta.

Produção de estruturas de resistência

  • Ao final o ciclo da cultura, os tecidos doentes, através do emaranhado de micélio, terão a formação de novos escleródios;
  • Escleródios podem ser formados tanto externamente, nas hastes ou pecíolos das plantas, quanto internamente, nas hastes ou legumes.

Para onde vão os escleródos formados?

  • No momento da colheita, os escleródios são espalhados pela área ou acompanham os grãos colhidos;
  • Sementes contaminadas contendo escleródios são uma das principais formas de introdução do mofo branco em áreas ainda livres desse patógeno.

Compartilhar notícia por email