8 MIN DE LEITURA

Fique de olho nos nematoides!

17 de janeiro de 2024

Apesar de os nematoides se proliferarem durante a primeira safra, devido às condições favoráveis de chuvas e altas temperaturas, na segunda safra ocorre a sua reprodução no solo, o que contribui para a persistência dessa praga e representa um desafio para a implementação da próxima cultura.

"Muitas vezes, o objetivo da segunda safra é dar uma renda extra para o agricultor. Mas, às vezes, isso acaba tendo um efeito negativo porque irá aumentar a população de nematoides. Ter duas safras por ano potencializa o aumento populacional dessa praga quando as duas culturas são suscetíveis", alerta Mário Inomoto, professor da Esalq/USP.

Vale lembrar que nos solos agrícolas existe uma comunidade complexa de diversas espécies de nematoides. Algumas delas se alimentam de bactérias ou fungos, desempenhando um papel fundamental na decomposição e reciclagem de nutrientes. Outras, são predadoras ou onívoras, porém, uma parte significativa dessa comunidade se alimenta diretamente das raízes das plantas, provocando lesões que, em alguns casos, podem causar doenças como necrosese podridões. Isso porque os nematoides atuam como porta de entrada para outros patógenos, e é aí que mora o perigo!


Sintomas do ataque

Geralmente, os fitonematoides são classificados como endoparasitas e ectoparasitas. Os endoparasitas invadem os tecidos radiculares e passam grande parte de seu ciclo de vida dentro das raízes das plantas.

Já os ectoparasitas se alimentam externamente à raiz, prejudicando a absorção de água e nutrientes. Por isso, seus sintomas podem ser confundidos com déficit hídrico ou deficiências nutricionais. Para diferenciá-los, você deve coletar amostras e enviá-las a um laboratório especializado para uma correta identificação e quantificação.

"O mais importante é saber qual espécie está presente e escolher essa segunda safra em função disso, de acordo com a cultura resistente ao nematoide presente", recomenda o professor.


As melhores estratégias de manejo

Por serem invisíveis a olho nu, os nematoides são considerados os inimigos ocultos das lavouras, o que torna o seu manejo uma tarefa bastante complexa. Nesse caso, adotar apenas uma prática não é suficiente para manter os nematoides dentro do nível de controle.

O manejo integrado dessa praga implica em:

  • Uso de sementes saudáveis;
  • Manutenção do terreno limpo;
  • Higienização regular das ferramentas, maquinários agrícolas, reservatórios de água e canais de irrigação;
  • Cultivo de plantas antagonistas capazes de inibir seu desenvolvimento;
  • Uso de cultivares resistentes;
  • Manejo dos restos culturais após a colheita;
  • Aplicação de agentes biológicos de controle;
  • Uso de culturas de cobertura na entressafra, como a crotalária, mucuna e braquiária;
  • Rotação de culturas, incorporando plantas não hospedeiras na segunda safra;
  • Manejo químico.

Solução inovadora para o controle de nematoides

A Bayer tem a solução certa para o controle químico! Verango® Prime traz inovação no manejo de nematoides, com um ingrediente ativo inédito no país: o fluopiram.

Além disso, tem período de controle prolongado e compatibilidade com os principais produtos biológicos. Esse nematicida também possui amplo espectro, conferindo proteção a diversas culturas.

E mais: para auxiliar na pulverização, oferecemos a prescrição por zonas de aplicação nos talhões, no programa Bayer Directo Nematoides. O pré-lançamento aconteceu na safra 23/24, para 106 agricultores do Cerrado que receberam as prescrições.

Caso você tenha interesse em fazer uma pré-inscrição para a safra 24/25 de soja, acesse www.agro.bayer.com.br/bayer-directo.