Quando fazer a irrigação do café e quais os benefícios?

13 de fevereiro de 2019

Quando fazer a irrigação do café e quais os benefícios

Muitas regiões do país sofrem com chuvas irregulares e mal distribuídas. Como consequência, a produtividade de diversos setores, como a cafeicultura, é prejudicada. Nesse contexto, a irrigação do café é uma medida fundamental para melhorar a produção da lavoura.

Afinal, após resolver esse problema de déficit hídrico, o agricultor pode expandir seu cultivo para áreas marginais e fornecer água no volume certo para que a planta consiga realizar de forma adequada todas as etapas do seu ciclo fisiológico.

Dessa forma, é possível aumentar a produtividade e até melhorar a qualidade das bebidas. No entanto, esses são apenas alguns dos motivos que explicam a importância da irrigação no cafeeiro.

Para compreender melhor esse assunto, também é fundamental conhecer os tipos de irrigação, suas vantagens e desvantagens e como realizar esse processo da forma correta.

Quais são os benefícios da irrigação do café?

Conhecer os inúmeros benefícios dessa prática é a melhor forma de entender por que é importante irrigar o café. Veja essa lista de vantagens:

  • Aumenta a eficiência na utilização de recursos;
  • Melhora a eficiência do processo de fotossíntese realizado pela planta;
  • Aumenta a produtividade da lavoura;
  • Permite um maior retorno econômico em todos os sistemas de irrigação;
  • Melhora as características físicas do café, contribuindo para a elevação da qualidade das sementes;
  • Reduz os riscos inerentes a atividade cafeeira;
  • Permite o cultivo da lavoura em áreas com chuvas irregulares.

Qual a produtividade do café irrigado?

O aumento da produtividade da lavoura já foi mencionado na lista anterior, mas devido à sua importância, merece um tópico especial.

Afinal, os números relacionados à produtividade do cafeeiro irrigado são surpreendentes. No Brasil, apenas 12% das áreas de cultivo destinadas à plantação de café, cerca de 300 mil hectares, contam com sistema de irrigação. Apesar disso, essas áreas são responsáveis por 30% da produção nacional do café.

Esses dados revelam a importância da irrigação no cafeeiro e mostram porque o produtor deve implantar esse sistema.

Mas como o agricultor pode fazer isso? Acompanhe as explicações abaixo!

Tipos de Irrigação: Como molhar café?

Existem vários tipos de irrigação à disposição do produtor. Cada um deles apresenta características técnicas e econômicas específicas para determinados tipos de manejo. Por isso, o primeiro passo para implementar um sistema de irrigação é conhecer as opções disponíveis.

Irrigação de café por aspersão

Como o próprio nome indica, a técnica utiliza aspersores para distribuir água na lavoura. Esses componentes podem ser classificados de acordo com vários critérios, como alcance do jato, movimentação e alcance do jato.

De qualquer forma, todos eles oferecem várias vantagens, como viabilidade em lavouras de grande extensão, controle preciso do gasto de água e ainda oferece uma estrutura adaptável e diversificada, podendo ser utilizada em diferentes situações.

No entanto, como parte da água aspergida é perdida na aplicação, sistemas de irrigação por aspersão costumam ter um custo maior de água, aumentam os custos da energia e pode elevar muito a umidade, deixando as plantas mais suscetíveis a doenças.

Vale lembrar que o sistema de irrigação por aspersão pode ser dividido em 2 categorias. Confira os detalhes de cada uma delas abaixo.

Sistema convencional

O sistema de irrigação convencional é um dos mais utilizados do mundo em função de sua versatilidade e baixo custo de instalação.

Além disso, esse sistema pode ser utilizado até mesmo em locais nos quais a vazão de água é baixa. Por isso, é necessário dividir a área de plantio em subáreas, o que torna a irrigação mais eficiente.

Para alcançar esse objetivo, o sistema convencional utiliza tubulações, para distribuição de água, que podem ser organizadas em linhas principais, secundárias e laterais.

Sistema mecanizado

Esse é o sistema de aspersão mais indicado para irrigação em grandes áreas, já que ele aumenta a eficiência na distribuição de água e reduz os custos com mão de obra.

Quando esse sistema é instalado em linhas laterais autopropelidas, os aspersores contam com mecanismos que permitem sua movimentação contínua em campo, como ocorre no pivô central.

Já quando o sistema é autopropelido, os aspersores são instalados sobre uma estrutura metálica com rodas que se deslocam de forma linear nas faixas de terreno, como ocorre com o canhão hidráulico.

Irrigação de café por gotejamento

Assim como a microaspersão, o gotejamento é considerado um sistema de irrigação localizado. Ele é muito utilizado em regiões com irregularidades ou baixo volume de volumes, sendo que sua principal vantagem é a redução do consumo de água.

Afinal, essa técnica permite que a água seja adicionada diretamente nas raízes das plantas, evitando o desperdício causado pela evaporação.

No entanto, por ser um sistema mais sofisticado, o gotejamento exige um alto investimento para instalação e tem limitações operacionais e de manejo.

Apesar disso, o uso dessa técnica permite uma economia de custos a longo prazo e pode ser considerada uma prática de manejo sustentável, em função do uso inteligente de recursos hídricos.

Mas será que esse sistema pode ser utilizado na lavoura de café? Entenda abaixo:

A irrigação por gotejamento no cafeeiro é uma boa opção?

O gotejamento é considerado um excelente investimento para lavouras de café localizadas em áreas de Cerrado e regiões centro-sul do país, por exemplo. Afinal, essas regiões estão mais suscetíveis a prejuízos resultantes do calor intenso e chuvas irregulares.

No entanto, com a instalação do sistema de gotejamento é possível fornecer água e outros insumos, como fertilizantes e defensivos agrícolas.

Além disso, ele permite a redução de tempo que as máquinas passam na lavoura. Como consequência, o agricultor consegue aumentar a produtividade e reduzir seus custos de produção.

Como fazer gotejamento em café?

A irrigação por gotejamento no café pode ser realizada de duas formas. A primeira delas é através de um equipamento de distribuição de água que deve ser enterrado na terra. A segunda forma, mais popular, é através do gotejamento diretamente na superfície do solo.

De qualquer forma, os gotejadores devem ser instalados ao longo das mangueiras de distribuição de água. Além disso, eles devem ser posicionados ao lado das plantas, permitindo que a água seja adicionada na região das raízes dos pés de café.

Quando irrigar o café?

Saber quando irrigar o café é tão importante quanto conhecer os tipos de irrigação que podem ser utilizados nas lavouras. De acordo com um estudo publicado na Revista Visão Agrícola, da Esalq/USP, a escolha da época da irrigação deve ser feita a partir do monitoramento da planta, do solo ou do clima.

Portanto, não existe um período ideal para que isso seja realizado. Sendo assim, é importante que o agricultor invista em ferramentas de monitoramento, como as tecnologias da Agricultura Digital, para entender qual é o melhor momento para a irrigação.

Quantos litros de água para irrigar uma lavoura de café?

O mesmo estudo citado anteriormente revela que a quantidade de água que deve ser aplicada na lavoura também depende das condições climáticas, do solo e da planta. Por isso, a pesquisa reforça a necessidade de monitoramento dessas características para a correta irrigação da lavoura.

A título de exemplo, durante tempos secos, uma fazenda de 15 mil pés de café arábico localizada no município de Brejetuda (ES), consome 94 mil litros de água por hectare toda semana.

Mas esse valor foi calculado levando em consideração todas as características da propriedade, do clima e da lavoura.

Vale lembrar que o volume de água utilizado na lavoura geralmente é grande, tendo em vista a necessidade de consumo de água de cada pé.

Quantos litros de água precisa um pé de café?

Em média, apenas um pé de café precisa de, aproximadamente, 5 litros de água para apresentar um bom desenvolvimento. Lembrando que esse número pode aumentar ou diminuir em função do tipo de irrigação utilizada e das características do solo.

Qual a melhor forma de irrigar café?

Apesar da existência de tantas opções de irrigação do café, é importante lembrar que não existe a melhor forma de irrigação. A verdade é que essa escolha deve ser realizada levando em consideração as propriedades de cada fazendo, como as citadas abaixo.

Como escolher o melhor sistema de irrigação para café?

A escolha do melhor sistema de irrigação para a lavoura de café deve levar em conta os seguintes parâmetros:

  • Propriedades físicas do solo;
  • Topografia e tamanho da área;
  • Condições do clima local;
  • Manejo da cultura;
  • Disponibilidade de recursos hídricos;
  • Eficiência no uso da água pelo sistema;
  • Recursos financeiros do agricultor.

A fertirrigação é aliada no aumento da produtividade do café

Após escolher o sistema de irrigação do café, o produtor pode utilizar a fertirrigação para aumentar a produção, melhorar a qualidade do café e, principalmente, reduzir gastos.

Essa técnica depende da qualidade da água, do fertilizante empregado e do comportamento da mobilidade dos nutrientes no solo.

No entanto, para que a fertirrigação seja feita da forma correta, ela exige a adubação cuidadosa da lavoura, a cobertura nas entrelinhas e o uso mais racional da água.

Além disso, é necessário muito rigor no controle de pragas e doenças do café, que prejudicam a rentabilidade da lavoura. Por isso, a aplicação de um bom inseticida, como o Sivanto Prime, é essencial para eliminar os problemas causados por pragas no cafeeiro.

Saiba mais sobre o Sivanto Prime!