5 MIN DE LEITURA

Nematoides do café: proteja sua lavoura do ataque desses parasitas!

20 de março de 2023

Você sabia que 20% do total de café produzido no Brasil pode não chegar ao mercado devido ao ataque de nematoides? Os dados, divulgados pelo Instituto Biológico, mostram os prejuízos que o cafeicultor pode sofrer por conta desse inimigo invisível.

Esses microrganismos parasitam as raízes das plantas, alimentando-se do conteúdo que existe nas células radiculares, o que afeta o crescimento e a produtividade das lavouras.

Inobert de Melo, pesquisador em fitopatologia do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural ( Incaper) explica que existem três espécies muito agressivas para o café arábica. Todas elas são do gênero Meloidogyne, conhecido popularmente como nematoide das galhas. "O Meloidogyne exigua está distribuído em qualquer região de café arábica, mas ele não mata a planta. As duas outras espécies, o Meloidogyne incognita e o Meloidogyne paranaense, levam a planta à morte em pouco espaço de tempo", acrescenta.

Diante disso, o pesquisador reforça aos cafeicultores a importância de fazer a amostragem. De acordo com ele, o primeiro passo é detectar o nematoide presente na área. Para isso, é necessário coletar a amostra corretamente, encaminhá-la a um laboratório que vai dizer de qual espécie se trata e, assim, realizar o controle recomendado.

Do que esses parasitas são capazes?

Quando os nematoides atacam a raiz, a absorção de água e de nutrientes é afetada, refletindo negativamente no desenvolvimento da cultura, o que pode levar até à morte da planta. Os sintomas mais comuns do ataque de nematoides são plantas murchas, amarelecimento, queda progressiva de folhas e redução no crescimento. Essa infestação ocorre de forma mais localizada em reboleiras.

Existem algumas técnicas que podem ser adotadas para realizar o manejo dos netamoides no cafezal. Para começar, o uso de variedades com genética resistente é essencial para o bom estabelecimento da cultura. Já nos métodos culturais, os mais utilizados são as retiradas das plantas parasitadas, rotação de cultura e adição de matéria orgânica no solo.

O controle biológico pode ser utilizado como alternativa complementar, com a aplicação de microrganismos como fungos e bactérias que auxiliam no melhor desenvolvimento radicular das plantas e aumentam a atividade microbiana do solo.

Por fim, o controle químico é uma das medidas mais utilizadas para redução da população de nematoides devido ao efeito de contato, a ação preventiva que confere à planta tolerância contra o ataque, além da praticidade de aplicação.

Wagner Ferreiro, cafeicultor de Altinópolis, interior de São Paulo, conta que, nos últimos 9 anos, sofreu com os prejuízos causados pelos nematoides em sua lavoura. "Só a partir deste ano é que teremos uma safra razoável. São 200 hectares e vamos colher em torno de 10 mil sacas de café, o equivalente a R$ 15 milhões. Com isso, vamos começar a pagar o prejuízo, então, dá para ter uma ideia do tamanho das perdas que tivemos", revela

Com o conhecimento de quem sofreu com esse problema, Wagner tem certeza de que os nematoides, quando não combatidos, podem acabar com a lavoura de café. "Nós sabemos que todas as nossas propriedades têm nematoides da espécie Meloidogyne exigua, e estamos trabalhando com produtos para isso", comenta.

Solução inovadora no controle de nematoides

Como solução inovadora no controle de nematoides, a Bayer traz o Verango® Prime . De acordo com Rodolfo San Juan, coordenador regional na Bayer Cropscience, o Verango® tem ação diferente dos demais nematicidas. "Os ovos no solo vão eclodir com a umidade. Assim que eles eclodirem, entram em contato com o produto que elimina uma grande parte desses nematoides", explica.

Para ajudar no monitoramento e identificação desses parasitas, a Bayer também conta com o mapeamento de nematoides da SGS, que lança mão de diagnósticos por meio de imagens de satélites e coletas de amostras nas propriedades para analisar e identificar as espécies danosas. A tecnologia permite, portanto, uma aplicação otimizada de Verango® Prime somente nos talhões com presença efetiva da praga.

Além disso, o produtor recebe todo o direcionamento de boas práticas agrícolas que complementam o manejo. O serviço está disponível para resgate dos clientes Impulso Bayer. "O Verango® já vem com um conceito de toxicologia muito favorável. Ele é um nematicida que requer apenas uma aplicação e protege por todo o período chuvoso", conclui o especialista da Bayer.