10 MIN DE LEITURA

Foi dada a largada para a safra de trigo!

29 de abril de 2024

Com a chegada do outono, as paisagens no campo geralmente começam a dar lugar para as culturas de inverno, como o trigo. A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), estima um aumento de 20% na produção de trigo na safra 24/25, totalizando 9,7 milhões de toneladas.

O crescimento deve acontecer mesmo com a queda esperada de quase 5% na área plantada, totalizando três milhões de hectares. Isso porque a produtividade pode ser 26% maior, chegando a 2,9 quilos por hectare. Esses números refletem o impacto do clima na última temporada, que teve a produtividade e qualidade prejudicadas pelo alto volume de chuvas.


O que esperar do mercado global de trigo?

Olhando para o mercado do trigo, as negociações estão em ritmo lento. De um lado, a indústria argumenta a ampla oferta de trigo argentino com preços competitivos, além disso, os ucranianos aumentam os embarques para o mercado internacional. As exportações de trigo do país europeu cresceram mais de 1 milhão de toneladas desde o início da safra, em relação ao último ciclo.

Por outro lado, os produtores que detêm cereal de qualidade estão, muitas vezes, optando por esperar para vender em momento mais oportuno.

As tensões no Mar Negro e no Oriente Médio, bem como o andamento do plantio do cereal, devem ser pontos de acompanhamento desse mercado, à medida em que a semeadura do trigo tem início no Brasil.

Nos últimos dias, as cotações começaram uma curva de valorização sustentada por preocupações com a oferta global. Os principais motivos são o aumento das tensões entre Rússia e Ucrânia, além do clima seco que persiste em partes das planícies dos Estados Unidos e no sul da Rússia, três importantes países produtores do cereal.

Enquanto isso, no Brasil, a transição para o fenômeno La Niña atrai um clima mais úmido e frio no inverno na região Sul, o que pode favorecer o desenvolvimento das plantas. No entanto, desafios como o excesso de chuvas e as geadas tardias ainda podem representar uma ameaça à produção.

O professor Marcos Fava Neves analisa a situação do mercado do trigo: "O esforço conjunto do setor público e privado, o desenvolvimento de variedades e a entrada em novas áreas estão fazendo com que as importações brasileiras de trigo fiquem sensivelmente menores. O país está caminhando para, talvez ainda nesta década, ter uma autossuficiência e o trigo também passar a ser um produto de exportação de forma vigorosa."


Giro de notícias

A colheita de soja chegou a 86,8% do total no Brasil, o que representa um atraso de 2,2 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2023. Enquanto isso, a colheita de milho verão chegou a 56,7%, atraso de 2,9 pontos percentuais.

As exportações de soja devem alcançar 96 milhões de toneladas em 2024. O volume foi revisado para cima, em dois milhões de toneladas, em comparação ao relatório do mês anterior. Contudo, o número é 6% menor do que o registrado no ano passado.


Experiências exclusivas Impulso Bayer

O Impulso Bayer Academy, edição Academia do Infinito, realizou uma viagem internacional imersiva para Singapura. Os participantes visitaram importantes empresas do mercado financeiro, de tecnologia e startups que fazem a diferença no agronegócio do país asiático e impactam o Brasil.

"Tivemos a oportunidade de visitar várias empresas, bancos, discutir sobre mercado financeiro e conhecer tecnologias que devem revolucionar o agro. Foi fantástico poder observar essas tecnologias, principalmente na questão de plant based e fruit security. Esses insights podem nos ajudar a tomar melhores decisões para nossos negócios", conta Cesar Busato, produtor rural que participou dessa experiência exclusiva.

E você, produtor, também quer fazer parte dessa jornada? Faça o resgate por meio dos seus pontos do Impulso Bayer.

Nesta semana também aconteceu a primeira viagem nacional de 2024. Clientes 4 e 5 estrelas do Impulso Bayer conheceram o Rio de Janeiro!

Eles conseguiram garantir uma vaga no dia do resgate da experiência e conferiram, na cidade maravilhosa, como a Bayer aplica inovação nos seus defensivos agrícolas até chegar na fazenda.