9 MIN DE LEITURA

Como as ferramentas digitais estão ajudando a mitigar os desafios da produção agrícola?

22 de janeiro de 2024

dois fazendeiros na lavoura

As ferramentas digitais têm conquistado cada vez mais hectares no agronegócio, transformando a maneira como os alimentos são cultivados em todo o mundo. Esta verdadeira revolução digital, que integrou tecnologias avançadas ao trabalho do campo, está gerando impactos positivos em diversas esferas da sociedade e da economia por meio da otimização do uso de recursos econômicos e naturais, e da assertividade no manejo dos cultivos.

Todos os benefícios das ferramentas digitais adotadas pela agricultura giram em torno da maximização do aprendizado do agricultor sobre cada talhão de sua lavoura. Graças aos sensores inteligentes, drones e algoritmos de inteligência artificial, hoje o produtor rural pode obter uma visão mais detalhada e precisa de suas produções, o que permite a tomada de decisões de manejo com base em informações altamente qualificadas.

Neste contexto, podemos dizer que as ferramentas digitais podem mitigar os desafios da produção agrícola, promovendo colheitas mais robustas, economias mais resilientes, e sociedades mais igualitárias e com maior segurança alimentar.

Continue esta leitura e saiba quais são as novidades que as ferramentas da agricultura digital estão levando para o campo. Além disso, neste texto você vai conhecer iniciativas Bayer que são vanguarda na revolução digital que está avançando nas principais regiões produtoras do Brasil.


Impactos da agricultura digital: novidades no campo

A agricultura digital é um conceito que integra diferentes tecnologias modernas com o objetivo de automatizar, monitorar e aprimorar todos os processos da produção agrícola. Com esta forma de pensar a agricultura, muitas novidades foram levadas para o campo com a finalidade de maximizar a eficiência de operações e diversas estratégias de manejo.

Veja quais são as principais novidades que a agricultura digital e as tecnologias inovadoras levaram para o campo nos últimos anos:


Machine Learning e Inteligência Artificial
A inteligência artificial (IA), aplicada a qualquer operação ou setor, exige o chamado machine learning (aprendizado de máquina), que é o processo em que são criados os algoritmos que automatizam o trabalho e a tomada de decisão das ferramentas que utilizam inteligência artificial.

Graças a adoção de diferentes ferramentas digitais, associadas a dados de diferentes provedores públicos e privados, e às informações fornecidas pelos agricultores, a inteligência artificial empregada na lavoura tem encontrado condições para que seu aprendizado de máquina se desenvolva rapidamente. Até o momento, tecnologias que contam com IA e machine learning já conseguem gerar análises preditivas, diagnóstico de doenças em plantas, e recomendação de otimização de recursos ou operações.

É importante reforçar que ambas as tecnologias estão inseridas em ferramentas propriamente ditas, mas também estão integradas a estratégias mais complexas a partir de diferentes equipamentos, como os que são utilizados para Manejo Integrado de Pragas (MIP) e Agricultura de Precisão.

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a inteligência artificial é capaz de aprimorar o monitoramento de lavouras, aumentando a acurácia de algumas metodologias para 97%. Além disso, de acordo com artigo publicado na revista Globo Rural por Maurício Antônio Lopes, engenheiro agrônomo da Embrapa, a IA pode transformar a agricultura drasticamente com sua capacidade de realizar processos cognitivos, e sistemas que aprendem com experiências, aumentando a velocidade e a eficiência das operações realizadas por ferramentas autônomas.


Agricultura de Precisão modernizada


De acordo com a agricultura de precisão tem se destacado como uma das principais revoluções tecnológicas no campo. Atualmente, por meio do uso de sensores em estações meteorológicas e equipamentos agrícolas, drones, GPS, softwares GIS (Sistemas de Informação Geográfica), técnicas de plantio e distribuição de insumos em taxa variável, e sistemas de mapeamento de colheita gerenciam com mais eficiência recursos como água, sementes e fertilizantes.

Nesta nova realidade da agricultura de precisão, o produtor reduz os custos de produção, e minimiza o impacto ambiental de seus cultivos, o que promove uma produção mais sustentável. Além disso, a partir da integração de dados e plataformas, o aprendizado dos agricultores e trabalhadores do campo se tornou mais efetivo, o que tem ajudado a melhorar a performance da produção agrícola a cada safra.


Robótica na agricultura
A robótica chega na agricultura para materializar as tomadas de decisões obtidas por meio da agricultura de precisão e inteligência artificial. Neste novo cenário, robôs e veículos autônomos estão reduzindo a dependência de mão de obra manual nas lavouras, e aumentando a precisão e a eficiência das operações agrícolas.

Alguns exemplos de equipamentos agrícolas autônomos que podem ser geridos por inteligência artificial são drones pulverizadores, colhedoras e plantadeiras.


Rastreabilidade da produção agrícola
O uso de ferramentas digitais possibilita a rastreabilidade completa da produção agrícola. Isso é crucial para atender às crescentes demandas dos consumidores por alimentos sustentáveis e seguros.

Na era da agricultura digital, os produtores podem documentar cada fase do processo de cultivo, desde o plantio até a distribuição, facilitando a obtenção de certificações de procedência, sustentabilidade e transparência. Esta novidade facilitou o trabalho de agricultores que buscam diferenciar seus produtos no mercado, e obter melhores preços na comercialização.

Outro benefício direto da rastreabilidade promovida pelas ferramentas digitais na agricultura, é a aceleração do desenvolvimento de metodologias que avaliam a pegada de carbono das lavouras. Isso aproxima cada vez mais o agricultor dos mercados de carbono consolidados, e cria novas oportunidades de geração de renda nas fazendas.


Como a Bayer fomenta a tecnologia no agronegócio?

Em dezembro de 2023 a Bayer divulgou o relatório “Bayer’s Approach for the Development and use of Crop Protection Products”. Neste documento, foram apresentados, entre outros dados, as metas de pesquisa e desenvolvimento da empresa para 2024.

Entre os principais objetivos de pesquisa e desenvolvimento da empresa neste ano, segundo o documento, estão o desenvolvimento de produtos com modos de ação seletivos, design de produtos baseados em novas moléculas, produtos biológicos, formulações, e inovação aberta com parcerias e colaboração.

De acordo com levantamento da Upstream Ag Insights, o investimento total em pesquisa e desenvolvimento realizado pelos seis principais players do agronegócio global em 2023, incluindo Bayer, somam quase 6 bilhões de dólares. Desse montante, a Bayer, sozinha, é responsável por mais de 2 bilhões de dólares.

Este dado revela o posicionamento da Bayer, que é voltado para desenvolver e oferecer as melhores soluções para os agricultores do Brasil e do mundo, seja no segmento de insumos, como sementes e defensivos, ou no segmento de agricultura digital, com ferramentas e serviços.

Como resultado de tamanha dedicação à inovação, a Bayer se encontra hoje na vanguarda da agricultura digital por meio da plataforma CLIMATE FIELDVIEW®, e do programa PRO CARBONO®.

A plataforma CLIMATE FIELDVIEW® I é um hub de ferramentas de agricultura digital, que permite que o agricultor gerencie a maioria das operações que acontecem na fazenda o ano todo. Com este recurso, produtores podem monitorar suas lavouras utilizando diferentes métodos, como o sensoriamento remoto – que utiliza imagens de satélite, e o sensoriamento via tecnologia embarcada nos maquinários.

Com CLIMATE FIELDVIEW®, os dados são capturados em tempo real, e transformados em mapas e relatórios, que podem ser acessados pelo agricultor em um aparelho celular ou tablet. Além disso, estes dados geram históricos que ajudam o agricultor a acompanhar a evolução do manejo da lavoura a cada safra.

O PRO CARBONO®, por outro lado, faz uso de ferramentas digitais como CLIMATE FIELDVIEW®, e investe em grupos de pesquisa das principais instituições voltadas para ciência e tecnologia do agronegócio. O objetivo desta iniciativa é ajudar agricultores a intensificar práticas agronômicas sustentáveis aumentando sua produtividade enquanto reduzem a emissão de carbono na produção de alimentos.

Além disso, o PRO CARBONO® busca por desenvolver e testar novas metodologias de mensuração de estoque de carbono na agricultura, para tornar o mercado de carbono uma realidade no Brasil e no mundo.

Para saber mais sobre como a agricultura digital está diretamente ligada ao sequestro de carbono, e como o PRO CARBONO® integra estes fatores, assista a minissérie Carbono, no canal do YouTube Agro Bayer Brasil: